2005-11-19

considerandos sobre o amor III

Os cientistas dizem que o encontro amoroso é biológico. Sentimo-nos atraídos por alguém devido a sinais visuais, acústicos, olfactivos e hormonais que o outro nos transmite e que fazem rebentar com os nossos receptores... Que dizer então destes amores que nasciam via correspondência antigamente ou dos que se criam graças à internet, hoje em dia, onde não há contacto físico?

7 comentários:

Anonymous Xuk disse...

Se algum dia os cientistas souberem interpretar o amor como uma ciência será um dia triste para a humanidade. O amor não se explica, não tem uma razão, nem tem de haver...

11/19/2005 03:48:00 da tarde  
Blogger wind disse...

Não acredito em amores virtuais. Podem começar por aí, mas têm de se ver para sentir se há "química" ou não.;)

11/19/2005 09:08:00 da tarde  
Anonymous Teoriazita disse...

o encontro amoroso é o q é. mai nada!

11/19/2005 09:41:00 da tarde  
Blogger Manu disse...

L’amour virtuel est comme les images, toujours plus belles que la réalité, mais que restera de lui après la rencontre physique ?
A@+

11/19/2005 10:32:00 da tarde  
Blogger Cientista disse...

Até nos amores à distância há despoletar de reacções químicas em nós. Se me dizem coisas agradáveis, por exemplo, fico feliz - esse estado de felicidade acarreta uma reacção química. Apesar disso, apesar de tudo ter uma explicação/dimensão biológica, não quer dizer que a emocional não interesse, complementam-se!

11/20/2005 11:22:00 da manhã  
Blogger digoeu disse...

Descartes foi "corrigido" por Damásio no seu "cogito ergo sum"
Para a presente questão:
sinto logo existe!
;)

11/20/2005 12:06:00 da tarde  
Blogger jacky disse...

:) xuk, wind e Teoriazita, eles vão tentando ;)

Sei, digo eu, também li o sentimento de si

Manu, quel plaisir de te voir ici :) Cette semaine je vais écrire en français, tu pourras participer :))

Claro, o físico e o mental em comunhão, cientista :)

11/20/2005 08:57:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home