2005-12-15

Palavra-barco

Era uma vez, uma palavra-barco que navegava no oceano à procura da palavra-beijo. Tinham-se conhecido pela mão do Eugénio de Andrade há uns anos e desde então que não se viam... A palavra-barco atravessou o mar da indiferença e o oceano do desprezo. A palavra-beijo saltava de boca em boca, de boca em mão. Faltava ainda muito até se reencontrarem. Entretanto, a palavra-barco chegou às fossas marinhas da paixão e ancorou no porto do amor durante uns dias. A palavra-beijo deixou-se ir num aerograma para descansar. Quando já não havia esperança, chegou um homem e entregou o saco do correio num pequeno barco parado no cais da poesia. O saco caído no chão deixou antever um envelope... O resto da estória nem é preciso contá-la. Tu já sabes o resto :)

5 comentários:

Blogger digoeu disse...

muito bonito!
;)

12/16/2005 12:06:00 da manhã  
Blogger Zeak disse...

Diz ele e digo eu, muito bonito.
Já foste clonada pelo Plagiadídssimo, agora tens de aguentar.

12/16/2005 12:19:00 da manhã  
Blogger wind disse...

Saberei? lol. Mas está bonito sim:)

12/16/2005 02:50:00 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Mas que bem! Palavra-olá para ti!

12/16/2005 05:41:00 da tarde  
Blogger jacky disse...

Obrigada digo eu :)

Gíssimo, é um prazer ser clonada ;)

Wind, claro que sabes, fica ao sabor da tua imaginação

Palavra-obrigada para ti, anónimo ;)

12/18/2005 10:52:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home