2005-11-08

Desejo VI

Albena Hirstova Desejou-a no mesmo momento em que a viu pela primeira vez e desejou-a tão intensamente que não concebeu partilhá-la com mais ninguém. O destino parecia ajudá-lo, quando ela correspondeu ao seu desejo. Amavam-se desalmadamente como se o mundo fosse acabar ali. Estavam sempre juntos e davam tudo um pelo outro. Todavia, chega uma certa altura, em que a paixão tem de se renovar, senão esgota. Ele não quis. Fechou-a numa gaiola doirada. Vivia obsessivamente à sua volta. Levava-a para todo o lado. Vigiava-a o tempo todo. Telefonava-lhe a todo o momento, seguindo-lhe todos os passos. Controlava-a no cabeleireiro, nas compras, nas amizades, nos diálogos, nos laços familiares. Tinha banido do seu guarda-roupa tudo o que a pudesse tornar desejável a outros homens: transparências, decotes e roupas justas. Tudo fez para a possuir totalmente. Ela começou a definhar, pássaro ferido encarcerado numa gaiola. Já não ria, já não cantava. Perdera o brilho de outrora. Entristeceu. Deixou de o desejar. Sentia-se ainda mais triste por isso. Como poderia ela se queixar, se era idolatrada? Deixou de ter vontade de tudo. Começou a engordar. Sombrou numa profunda melancolia. Ele não entendia a mudança. Que estaria a fazer de errado? Porque estava ela uma sombra de si mesma? Continuava a desejá-la profundamente mas a sua indiferença feria-o. Um dia, reparou noutra mulher e desejou-a naquele mesmo momento. A obsessão fora transferida. Abriu a gaiola e libertou o pássaro ferido, precisava dela aberta para outra mulher. O pássaro quis voar, mas não conseguiu: as asas já não lhe obedeciam. Voltou para o seu ninho e lá permaneceu, até cicatrizar algumas feridas. Voltou a rir e a cantar, mas baixinho. Nunca mais quis ser desejada, fosse ela voltar para uma gaiola... (28.04.2005)

5 comentários:

Blogger Siamese Master disse...

O amor/desejo não se vive numa gaiola

11/08/2005 12:04:00 da tarde  
Blogger PmA disse...

Ainda se fosse um ninho... agora gaiolas são perfeitamente dispensáveis, parece-me.
;)

11/08/2005 12:51:00 da tarde  
Anonymous Fernando F disse...

De facto Jacky, tens uma imaginação fora de série.
Parabens

Beijos Fernando F

Imagina lá a história do gato!!!!!

11/08/2005 12:53:00 da tarde  
Blogger wind disse...

Genial texto. O amor não pode ser prisão.

11/08/2005 07:30:00 da tarde  
Blogger jacky disse...

Pois não fernando vasques mas acontece em muitos casais infelizmente...

PmA, de ninhos estamos falados ;)

:) Fernando F tu és terrível pá!

:) obrigada wind

11/09/2005 12:22:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home