2006-02-13

12 sentires de amor...

Amor é... Amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói, e não se sente; é um contentamento descontente, é dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; é um andar solitário entre a gente; é nunca contentar-se de contente; é um cuidar que ganha em se perder. É querer estar preso por vontade; é servir a quem vence, o vencedor; é ter com quem nos mata, lealdade. Mas como causar pode seu favor nos corações humanos amizade, se tão contrário a si é o mesmo Amor? Luís de Camões Referência Quantas vezes te digo quantas vezes... que és para mim o meu homem amado? O que chega primeiro e só parte por vezes antes de eu perceber que já tinhas voltado Quantas vezes te digo quantas vezes... que és para mim o meu homem amado? Aquele que me beija e me possui me torna e me deixa ficando a meu lado Quantas vezes te digo quantas vezes... que és para mim o meu homem amado? Que sempre me enlouquece e só aí percebo como estava perdida sem te ter encontrado Maria Teresa Horta Soneto da Fidelidade De tudo, ao meu amor serei atento. Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto Que mesmo em face do maior encanto Dele se encante mais meu pensamento. Quero vivê-lo em cada vão momento E em seu louvor hei de espalhar meu canto E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento. E assim, quando mais tarde me procure Quem sabe a morte, angústia de quem vive Quem sabe a solidão, fim de quem ama Eu possa dizer do amor (que tive) Que não seja imortal, posto que é chama Mas que seja infinito enquanto dure. Vinicius de Moraes Poema do Amor Este é o poema do amor. O poema que o poeta propositadamente escreveu só para falar de amor, de amor, de amor, de amor, para repetir muitas vezes amor, amor, amor, amor. Para que um dia, quando o Cérebro Electrónico contar as palavras que o poeta escreveu, tantos que, tantos se, tantos lhe, tantos tu, tantos ela, tantos eu, conclua que a palavra que o poeta mais vezes escreveu foi amor, amor, amor. Este é o poema do amor. António Gedeão Jacky Que pode... Que pode uma criatura senão, entre outras criaturas, amar? amar e esquecer, amar e malamar, amar, desamar, amar? sempre, e até de olhos vidrados, amar? Carlos Drummond de Andrade Olha, Marília... Olha, Marília, as flautas dos pastores Que bem que soam, como estão cadentes! Olha o Tejo a sorrir-se! Olha, não sentes Os Zéfiros brincar por entre flores? Vês como ali beijando-se os Amores Incitam nossos ósculos ardentes! Ei-las de planta em planta as inocentes, As vagas borboletas de mil cores! Naquele arbusto o rouxinol suspira; Ora nas folhas a abelhinha pára, Ora nos ares sussurrando gira: Que alegre campo! Que manhã tão clara! Mas ah! tudo o que vês, se eu te não vira, Mais tristeza que a morte me causara. Bocage É urgente o amor É urgente o amor. É urgente um barco no mar. É urgente destruir certas palavras, ódio, solidão e crueldade, alguns lamentos, muitas espadas. É urgente inventar alegria, multiplicar os beijos, as searas, é urgente descobrir rosas e rios e manhãs claras. Cai o silêncio nos ombros e a luz impura, até doer. É urgente o amor, é urgente permanecer. Eugénio de Andrade

7 comentários:

Blogger wind disse...

Há poemas de amor lindos, só que não passam de poemas. A realidade é diferente.

2/13/2006 01:35:00 da tarde  
Blogger jacky disse...

Acho que pelo menos podem ter sido sinceros a escrevê-lo mesmo se nem sempre duram os sentimentos...

2/13/2006 03:38:00 da tarde  
Anonymous André Sousa disse...

19.05.2005

no dia em k fiz 19 anos =D

bjO*

2/13/2006 09:03:00 da tarde  
Anonymous teu-olhar disse...

Belos poemas de amor! E viva o amor, e aquelas pessoas que sabem dar valor ao amor! Feliz dia de S. Valentim. Beijo.

2/13/2006 10:38:00 da tarde  
Blogger Xuk disse...

Amor... amor... Inebriante e arrebatador.

2/14/2006 07:36:00 da tarde  
Blogger jacky disse...

Pois foi André. Gostei de te rever por aqui. Quando voltas a escrever no teu blogue? :)

Teu olhar, poemas de amor todos os dias do ano!

Xuk, fizeste um verso! ;)

2/15/2006 09:21:00 da manhã  
Anonymous XeH Lee disse...

amor:um grave desturbio mental!!!

4/29/2006 03:51:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home