2005-09-15

Tudo o que te dou, Pedro Abrunhosa

Mick Payton Eu não sei, que mais posso ser um dia rei, outro dia sem comer por vezes forte, coragem de leão às vezes, fraco assim é o coração eu não sei, que mais te posso dar um dia jóias; noutro dia o luar, gritos de dor, gritos de prazer que um homem também chora quando assim tem de ser. Foram tantas as noites sem dormir, tantos quartos de hotel amar é partir... promessas perdidas escritas no ar e logo ali eu sei... Tudo o que eu te dou tu me dás a mim tudo o que eu sonhei tu serás assim tudo o que eu te dou tu me dás a mim tudo o que eu te dou Sentado na poltrona, beijas-me a pele morena fazes aqueles truques que, aprendeste no cinema Mais! peço-te eu, já me sinto a viajar pára, recomeça e faz-me acreditar Não, dizes tu, e o teu olhar mentiu, enrolados pelo chão no abraço que se viu é madrugada ou é alucinação, estrelas de mil cores, extasy ou paixão hum, esse odor, traz tanta saudade mata-me de amor, dá-me liberdade deixa-me voar, cantar e adormecer Tudo o que eu te dou tu me dás a mim tudo o que eu sonhei tu serás assim tudo o que eu te dou tu me dás a mim tudo o que eu te dou Apesar do Pedro Abrunhosa não ter grande voz, continuo a achar que esta é uma das mais bonitas canções de amor portuguesa que já ouvi, bem melancólica como eu gosto... E tu, quais são as tuas canções de amor portuguesas que mais gostas?

2 comentários:

Blogger Bananas disse...

Brindemos ao amor, pois :)

9/23/2005 07:28:00 da tarde  
Blogger Thiago Forrest Gump disse...

Realmente a letra é sublime. Queria ouví-la. :)

9/25/2005 01:18:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home