2005-11-24

Porque eu não sei ser equilibrada...

Todo o tempo é de poesia Desde a névoa da manhã à névoa do outro dia. Desde a quentura do ventre à frigidez da agonia Todo o tempo é de poesia Entre bombas que deflagram. Corolas que se desdobram. Corpos que em sangue soçobram. Vidas qu'a amar se consagram. Sob a cúpula sombria das mãos que pedem vingança. Sob o arco da aliança da celeste alegoria. Todo o tempo é de poesia. Desde a arrumação ao caos à confusão da harmonia. António Gedeão

4 comentários:

Blogger Toze disse...

E não é que o Gedeão tem toda a razão ?!

11/24/2005 07:24:00 da tarde  
Blogger jolaze disse...

lindo poema....
Já vais no teu decimo oitovo template!!!!
bjs

11/24/2005 09:36:00 da tarde  
Blogger wind disse...

Grande António Gedeão que está um pouco esquecido e é sempre bom relembrá-lo.

11/24/2005 09:45:00 da tarde  
Blogger jacky disse...

Eu gosto muito do Gedeão, Tozé, Jolazé e Wind, é um dos meus favoritos!

Quanto ao template, este é mais levezinho que os outros e quando ficar cheia é só mudar a imagem ;)

11/24/2005 11:46:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home